Subliminar

Entrevista a Luana
CALAZANS_ : Preliminarmente, minha pesquisa em desenvolvimento há vinte anos tem por objetivo provar que NÂO EXISTEM propagandas subliminares em nenhuma mídia impressa nem eletrônica, pesquisa documentada em Mestrado e Doutorado defendidos na USP, Livre-Docência obtida na Unesp e esta pesquisa está registrada no livro “Propaganda Subliminar Multimídia” da editora Summus, sétima edição ampliada e a cores; dito isto, eu responderia hipotéticamente que alguns raríssimos pesquisadores insistiriam em afirmar que os supostos subliminares agiriam como mero “REFORÇO” de hábito de consumo condicionado e já pré-existente (Behaviorismo) , reforçando uma cognição-experiência de imagem de uma marca, estímulo este o qual faria o tal efeito aumentando o número de vezes de consumo do produto ou meramente agindo como “PUBLICIDADE INSTITUCIONAL” de uma marca ou logotipo ou nome de produto. Haveria até mesmo registros de pesquisas experimentais empíricas com subliminares desde Pierre e Jastrow em 1884, com base em teorias de filósofos como Locke, Leibnitz, Helveticus, Helmholtz e James; e Étiene Bonnot de Condillac em 1746 teria sido o primeiro filósofo a descrever como as impressões do mundo exterior recebidas sem consciência afetam estados de ânimo, mas o conceito existe desde os gregos, citado por Demócrito, Epicuro e outros filósofos..a palavra “subliminar” teria sido criada por Frederic William Henry Myers, 1843–1901, entretando, a teoria explicando o processo existe desde a grécia antiga citadas por aristóteles no livro PERVA NATURALIS, por Demócrito e muitos outros.

Sinceramente, eu preferia que não existisse isto de subliminar; minha postura inicial quando comecei a pesquisar era incrédula e cética, mas curiosidade muita...de 1981 a 2009 tenho uma experiência de mais de 20 anos coletando casos, com "papers" apresentados e diversos congressos internacionais, e sinto muito dizer isto, mas fui - tive de ser- convencido que tais tecnologias subliminares não só existem como tem efeitos mensuráveis...

CMS- Como e por que começou seu interesse pela comunicação e as mensagens subliminares?

CALAZANS - Eu via na televisão seriados como COLUMBO onde um episódio mostrou subliminares, depois vi filmes como “THEY LIVE” tratando do tema, mas nunca levei a sério até entrar na faculdade de direito e descobrir que havia leis sobre isto e casos estudados pela ótica jurídica, depois fiz também faculdade de comunicação e lá apresentei um seminário sobre o tema nota dez, depois no mestrado da USP meu orientador, o Italo-Egipcio Modesto Farina incentivou-me a fazer tese de subliminares (eu tinha outros temas em ente mais fáceis) e ele acertou, saiu até o livro PROPAGANDA SUBLIMINAR MULTIMÍDIA hoje em sétima edição ampliada e atualizada, que é bibliografia do tema em diversas universidades por todo Brasil, citado no Chile, Peru etc.e leitura obrigatória de concursos públicos e até da academia militar, o livro tornou-se referencia no tema, e é resultado de tese com aval da USP.

CMS- Alguns dizem que teu livro tem uma visão “apocalíptica” de M. Subliminares e que esse assunto divide a comunidade científica. (metade acreditam e outra não). Enfim ,o que já foi mesmo, ou não , aceita pela ciência sobre as Subliminares?

CALAZANS - A ciência caminha a cada dia, é preciso atualizar-se sempre, e com muito cuidado com pesquisas de universidades norte americanas que, mesmo públicas, recebem doações de empresas e fazem pesquisas co m erros propositais como ignorar a lei de poetzle, prefira as pesquisas européias, mais sérias, com honestidade científica. Recorde que nos USA até a Evolução é uma teoria que divide a comunidade científica, há cientistas norte americanos que defendem o dilúvio e a criação do homem do barro, lá confundem religião com ciência, vide Galileu e a inquisição. Como todo pesquisador cientificamente treinado e titulado, competente e bem intencionado muito bem o sabe, as pesquisas científicas mais atuais são reconhecidas e referendadas pela Comunidade Científica nos Congressos e Eventos de Pesquisadores, sendo esta a fonte de pesquisa primária, o primeiro lugar a ser pesquisado para buscar as fontes científicas de um parecer ou perícia -os anais, cdroms e websites oficiais dos Congressos e Simpósios específicos dos especialistas da área de Comunicação (IAMCR, ALAIC, Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação- Intercom, Lusocom, Congresso Brasileiro de Semiótica, COMPÓS, etc) e de Engenharia e Tecnologia de Ponta (INTERTECH, ICECE, etc), e em segundo lugar o conhecimento já estabelecido e comprovado, sistematizado, testado e debatido nas Dissertações de Mestrado e Teses de Doutorado defendidas contra bancas examinadoras em instituições com respaldo e reputação (da categoria, seriedade e nível da USP- Universidade de São Paulo, comprovadamente produtora de pesquisa de ponta e atualizada); somente depois, em terceiro lugar, é que busca-se os livros publicados, com teorias já cristalizadas e aceitas.

Minha obra NÃO vincula-se a escola de Frankfurt (Teoria Crítica) que Umberto Eco chamou de APOCALIPTICOS, o livro é uma tese defendida na USP que recebeu nota DEZ com distinção e que cruza abordagens teóricas com bases psiquiatricas.

Minha banca na ECA-USP teve presença de um Doutor Médico Psiquiatra, Doutor José Carlos Ferraz Salles , que comprovou estas e outras teses neurofisiológicas, a pesquisa científica realizada por mim na USP obteve nota dez com distinção ao provar detalhadamente o perigo da propaganda subliminar, denunciando o risco psico-social destas técnicas publicitárias anti-éticas que ignoram nossa vontade, nossa cidadania e liberdade de escolha ou livre-arbítrio), segundo o ilustre médico psiquiatra:

"Meses atrás fui um dos membros examinadores de uma tese de mestrado sobre a propaganda subliminar. Belíssima tese (...) é necessário, sim, conhecer minuciosamente as técnicas da propaganda subliminar e nesse caso a tese apontada do professor Flávio Mário de Alcântara Calazans deve ser amplamente divulgada (...) os sindicatos das associações ligadas a todos os meios de comunicação , jornais, revistas, rádio e televisão, bem como as ligadas a propaganda e marketing devem estudar e reformular os seus códigos de ética no que se refere ao assunto"Doutor José Carlos Ferraz Salles- Médico Psiquiatra eProfessor Universitário na Escola Paulista de Medicina, Diadema Jornal, 23 de dezembro de 1990.

Comentários

  1. Tive o privilégio de "conhecer" o conceito de subliminar ainda quando o Calazans não havia elaborado/estruturado esse ramo do conhecimento humano.Foi, salvo engano, em 1982 quando estudávamos Direito. NUNCA esqueci a idéia de subliminar pois me deixou profundamente intrigada e preocupada pois ela afetava oonceito de LIBERDADE sob o ponto de vista pessoal, social, jurídico, existencial, etc. A CONSTATAÇÃO dos efeitos da subliminar e principalmente os motivos da sua utilização me levam a pensar que vivemos sob a égide de um PODER que nos torna literalmente ESCRAVOS e não LIVRES. É como o enfrentamento do criador X criatura; sendo que ao final a criatura dominará o criador.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

DOUTOR ESTRANHO na coleção de historias em quadrinhos de Flávio Calazans