Postagens

SEGUNDA EDIÇÃO do álbum com a mesma HQ em versão adulta e versão infantil HORA DA HORTA

Imagem
"A HORA DA HORTA" a SEGUNDA EDIÇÂO de seu polêmico álbum sobre a história oral da colonização do Brasil baseada no movimento outros-quinhentos e na própria história oral e árvore genealógica do autor cujos ancestrais foram cartorários e escreventes em Itanhaém (segunda vila ou povoado do Brasil fundada em 1932), mostrando pelo crescimento da barba do personagem como o bacharel de Coimbra vai ambientando-se ao Brasil colonial e tornando-se um cartógrafo e bandeirante enquanto sua esposa aprende com uma índia escrava tupinambá sobre as semelhanças entre o misticismo nativo e a cabala e contos de fadas judaico-cristãos que aprendeu com seu avô rabino, até que chegam os padres jesuítas para fundar o colégio em São Paulo. Álbum de 48 páginas, formato, 23x15,5cm, 2ª edição. A HQ foi remasterizada e vem com novos tons de cinza aplicados por Lafaiete Nascimento. De forma inédita Calazans mostra pela primeira vez os bastidores da criação deste álbum. Ainda: participação de Ivany Sev…

Álbum brasileiro chega a QUINTA EDIÇÂO - confira o que tem nele que não sai da moda !

Imagem
"A Guerra dos Golfinhos" é a "Segunda Guerra Calazanista", ao contrário de "Guerra das Idéias" que retrata o passado das idéias de liberdade e democracia, aqui Calazans sonha com um futuro melhor, e, do mesmo modo, este álbum resiste ao tempo nesta QUINTA EDIÇÂO e continua transmitindo sua mensagem de liberdade para buscar sua própria felicidade dentro do espírito do nosso tempo (Zeit Geist): no ano 85 de outro calendário futuro o mundo divide-se em dois blocos ou FEDERAÇÕES, governos político-econômicos opressores e ditatoriais enquanto sob o mar cresce uma alternativa, uma CONFEDERAÇÂO de municípios autogestionados (similar a SUIÇA ou Confederação Helvética com seus cantões), um paraíso submarino auto-suficiente cujas leis são propostas e votadas em plebiscito por cada cidadão, um modelo de cooperativas e mutirões no qual um oceanógrafo faz experimentos místicos que o levam a visitar um planeta sob um sol binário governado por colônias de insetos que…

Quadrinho Brasileiro chega a SEXTA EDIÇÂO - confira o que tem neste álbum que dura tanto sem envelhecer

Imagem
"Guerra das Ideias" é a "Primeira Guerra Calazanista", o álbum de quadrinhos independentes mais reeditado do Brasil, nesta SEXTA EDIÇÂO comprovadamente resiste ao tempo e continua atual sendo reeditada cada vez que esgota desde 1986,

onde em 27 episódios de duas páginas as ideias de liberdade e de opressão lutam pelos corações e mentes de cada uma das pessoas por toda a história da humanidade, da pré-história à Roma antiga, dos Incas aos Quilombos de escravos no Brasil, da Revolução francesa à filosofia existencialista, das bandas PUNK até a mecatrônica da inteligência artificial.

Uma revisão do passado da humanidade. Álbum de 80 páginas, formato 15,5x23cm, 6ª edição. A HQ foi remasterizada e vem com novos tons de cinza aplicados por Lafaiete Nascimento. De forma inédita Calazans mostra pela primeira vez os bastidores da criação deste álbum. Ainda: textos de Ivany Sevarolli, Edgard Guimarães, Fernando Vieira e Luiz Antonio Cagnin (in memorian)

Capa colorida …

Etica e Lógica

Imagem
É uma pena que as pessoas deixaram de pensar. Só informação não basta. A informação precisa ser acompanhada de raciocínio e de valores éticos para ser incorporada ou não em nosso "ser". A informação só é importante quando compreendida e vivenciada intimamente. -- "Não existe verdadeira inteligência sem bondade." - Ludwig Van Beethoven - a bengala - "Nada perturba tanto a vida humana como a ignorância do bem e do mal". (Cícero) do Tio Bisavô Elesbão

FÚRIA

"Cuidado com a fúria de um homem paciente." John Dryden 1631 — 1700 poeta, crítico literário e dramaturgo inglês que dominou a vida literária na Inglaterra durante a Restauração

silêncio de ouro

"As palavras devem ser ditas quando puderem fazer bem. Quando apenas inflamarem a sensação de desolação ou raiva de uma pessoa, é preferível segurar a língua. Como nos recorda Moshe ibn Ezra, o poeta hebraico medieval: "Se a palavra vale prata, o silêncio vale ouro". (Rabino Joseph Telushkin in O livro dos valores judaicos)

São Francisco de Assis

Imagem
Senhor, fazei de mim um instrumento de vossa Paz.

Onde houver Ódio, que eu leve o Amor,

Onde houver Ofensa, que eu leve o Perdão.

Onde houver Discórdia, que eu leve a União.

Onde houver Dúvida, que eu leve a Fé.

Onde houver Erro, que eu leve a Verdade.

Onde houver Desespero, que eu leve a Esperança.

Onde houver Tristeza, que eu leve a Alegria.

Onde houver Trevas, que eu leve a Luz!

Ó Mestre,

fazei que eu procure mais:

consolar, que ser consolado;

compreender, que ser compreendido;

amar, que ser amado.

Pois é dando, que se recebe.

Perdoando, que se é perdoado e

é morrendo, que se vive para a vida eterna!

Amém