TRIBUTO a Marcel Rodrigues Paes por seu amigo Flávio Calazans

• Prestar um “tributo” é fazer uma homenagem, um reconhecimento meu e de toda a comunidade de apreciadores , colecionadores e autores de Charges, Cartum, Caricatura , Histórias e Quadrinhos e todos interessados na Cultura de Mídia ou Cultura Nerd-Geek . • Eu, Calazans, aqui deixo expresso meu testemunho e depoimento sobre Marcel Rodrigues Paes, meu colega de Faculdade e meu amigo. ---. Marcel Rodrigues Paes nasceu em 16 de agosto de 1966 e faleceu em 30 de novembro de 1992 aos 26 anos de idade. Cursou Jornalismo de 1985 a 1988 na “FACOS”, Faculdade de Comunicação Social da “UNISANTOS”, Universidade Católica de Santos.
Em julho de 1988 começou a trabalhar no jornal “A TRIBUNA” de Santos, destacou-se por sua dedicação e ética profissional no setor de “NOTICIÁRIO POLICIAL” e em 1991 seu talento foi reconhecido ao ponto de ganhar espaço com uma coluna assinada sobre Histórias em Quadrinhos, publicada no caderno de ARTES toda quarta-feira, tendo sido provavelmente a primeira coluna sobre o tema HQ em um jornal diário do litoral paulista, sendo publicada até sua internação hospitalar e óbito,
foi sepultado no “Cemitério Areia Branca”.
A GIBITECA da Prefeitura Municipal de Santos o homenageia levando seu nome
e hoje, 12 de dezembro de 2015,
comemoramos VINTE E TRES anos da existência da GIBITECA..
Conheci Marcel na FACOS, ambos éramos colegas estudantes de Comunicação na Faculdade de Comunicação da UNISANTOS –Universidade Católica de Santos, Marcel cursou Jornalismo de 1985 a 1988 e eu cursei Propaganda de 1984 a 1987, durante três anos - de 1985 a 1987- conversávamos diariamente nos corredores da FACOS consolidando uma sólida amizade pois compartilhamos valores éticos e a paixão por Histórias em Quadrinhos, Cinema e Séries Televisivas, e esta amizade continua como explicarei.
Marcel é meu amigo, algumas pessoas que entrevistei para este testemunho e registro histórico estranharam que eu considere meu amigo um falecido, que eu preste homenagem a uma pessoa morta que não pode retribuir favores, mas obviamente é isto o que define a amizade, entendo que se há interesses utilitaristas ou oportunistas há de se avaliar se é uma verdadeira amizade ou uma reles exploração interesseira.
• Amigos - em nihongô -Ishin denshin de coração para coração.
• "A amizade é uma predisposição recíproca que torna dois seres igualmente ciosos da felicidade um do outro." Platão.
• "O encanto da vida depende unicamente das boas amizades que cultivamos.“ Malba Tahan.
Há quadro a óleo que homenageia Marcel Rodrigues Paes e fica na entrada da GIBITECA que leva seu nome, uma biblioteca especializada em um acervo de Consulta para entretenimento e Pesquisa com uma Reserva Tecnica a qual inclui toda a “COLEÇÃO MARCEL RODRIGUES PAES” doada pelos pais de Marcel para preservação da Memória e da OBRA do Marcel.
Marcel faleceu aos 26 anos de idade, 1966 a 1992. - 16 de agosto de 1966 – 30 de novembro de 1992 Sob o quadro há a PLACA DE PRATA com uma breve homenagem minha a meu amigo. Alguns dias depois do enterro do Marcel a minha carta foi publicada no jornal A TRIBUNA DE SANTOS dia 6 de dezembro de 1992, domingo, na qual lancei minha proposta da Gibiteca que ia ser inaugurada recebesse o nome do Marcel, minha ideia sensibilizou os inúmeros leitores da coluna semanal (publicada toda Quarta Feira) do Marcel na Tribuna:
"(...) Marcel estava acima de preconceitos, sua alma não tinha espaço para o veneno do ciúme e da inveja que corrói os corações medíocres dos fracassados. Sua coluna das quartas-feiras era ansiosamente esperada tanto por colecionadores de quadrinhos de nostalgia quanto de material europeu de vanguarda(...) era unanimidade não só em Santos como no Brasil e até exterior, Portugal e Espanha, onde sua crítica de HQ era conhecida (...) Acompanhei Marcel desde os tempos em que ambos estudávamos Comunicação, e torcí por ele assistindo seu mais do que merecido sucesso (...) mas, independente de amizade, Marcel foi um marco nos quadrinhos de Santos, e nesta terra onde santo de casa não faz milagre, é preciso provar que Marcel não jogou pérolas aos porcos, preservar seu trabalho e seu exemplo. E o melhor seria a mais justa homenagem, a Gibiteca da prefeitura que está sendo inaugurada agora deveria, precisaria, por justiça, chamar-se Gibiteca Municipal Marcel Rodrigues Paes. Caso sejam consultados todos os envolvidos com a 9a Arte em Santos, tenho a certeza que será unânime o apoio a esta sugestão. Flávio Mário de Alcântara Calazans". A Tribuna, Santos, Cartas, seis de dezembro de 1992, Domingo, p.2.
"Flávio Calazans. O desenhista santista ministra, hoje, na Gibiteca Henfil, em São Paulo, o seminário Técnicas Subliminares nas Histórias em Quadrinhos (...) Calazans é quadrinhista profissional (...) Hoje, na Gibiteca Henfil, ele presta homenagem póstuma ao jornalista de A Tribuna, Marcel Rodrigues Paes, que deverá ter seu nome dado à Gibiteca santista." A Tribuna, Santos, 12 de dezembro de 1992, Sábado, Artes, p.4 ----- PÀGINA INTEIRA no jornal A TRIBUNA DE SANTOS de quarta feira, dois de dezembro de 1992, o cartunista SERI (Sergio Ribeiro Lemos) escreve sua despedida ao PIONEIRO MARCEL, (com caricatura feita por Alexandre Barbosa o BAR)
Sim, EU afirmo hoje que Marcel teve a PRIMEIRA COLUNA de CRITICA de QUADRINHOS em um jornal diário de todo o LITORAL do Estado de SÂO PAULO. Entrevistei o pesquisador Doutor Silvio Ênio Bergamini Filho que confirmou esta minha hipótese do pioneirismo do Marcel !
Nas palavras do MARCEL : “O Repórter é o porta-voz da população mais humilde e suas reivindicações só são ouvidas por meio de um jornalismo sério, honesto e voltado para os problemas sociais” (A tribuna 1-12-1991).
Um exemplo da utilidade pública da coluna do Marcel é este mapa, Marcel fez um extenso e honestíssimo levantamento de toda e cada uma das bancas de jornal e livrarias onde o colecionador pode comprar quadrinhos novos e usados, ensinando como pechinchar e fazendo listagem das revistas mais raras e os maiores colecionadores da região. (Tribuna, quarta feira, 15 de janeiro de 1992 página c-4 –artes).
Outro exemplo é esta matéria onde Marcel ensina como colecionar revistas nas cidades litorâneas onde há calor, umidade e salinidade que enferruja grampos de metal das revistas e resseca o papel.
Marcel ainda enumera detalhadamente quais são as ameaças pra a coleção e como prevenir e combater fungos, mofo, traças, baratas e cupins, estas matérias poderiam ser reunidades em livro para os jovens que começam suas coleções!
Marcel nesta matéria detalha cotação e preços de revistas e comparação cambial com o dólar, evidencia a inflação e sugere aos leitores de quadrinhos combaterem a má gestão da economia usando seu voto nas eleições! Um conselho cada dia mais atual!
Já nesta matéria Marcel dedica uma página inteira educando o leitor para a obra autoral de JIM STARLIN, um norte americano que é um dos quadrinhistas preferidos de Marcel e meu também, a coleção pessoal do Marcel foi doada a Gibiteca e contém estas revistas todas citadas na matéria. Starlin criou grandes e épicas Sagas como “DREADSTAR” (Na ilustração que Marcel escolheu para a matéria), “Warlock” e o mega-vilão “THANOS” que aparece nos filmes de cinema atuais como “Guardiões da Galaxia” e “Vingadores 1” ao final.
Marcel também registrou minha contribuição aos quadrinhos. Criei e coordenei a Cooperativa BARATA que publicou em mutirão a revista BARATA de 1979 a 2000. Criei e coordenei o GTHQ da Intercom. Fui eleito Diretor Executivo da AQC (Associação dos Quadrinhistas e caricaturistas) onde em 1986 publiquei minha “Cartilha de Direito Autoral dos quadrinhos”, e fui convidado a ser JURADO na PRIMEIRA BIENAL DE HISTÓRIAS EM QUADRINHOS DO RIO DE JANEIRO.
"Santista é jurado na Bienal do Rio- A experiência como fanzineiro, autor de vários trabalhos premiados em todo o país, foi o motivo para que a organização da Bienal convidasse Calazans para jurado." Marcel Rodrigues Paes, A Tribuna, 27 de novembro de 1991, Artes C-5.
"Flávio Calazans. O desenhista santista ministra, hoje, na Gibiteca Henfil, em São Paulo, o seminário Técnicas Subliminares nas Histórias em Quadrinhos (...) Calazans é quadrinhista profissional (...) Hoje, na Gibiteca Henfil, ele presta homenagem póstuma ao jornalista de A Tribuna, Marcel Rodrigues Paes, que deverá ter seu nome dado à Gibiteca santista." A Tribuna, Santos, 12 de dezembro de 1992, Sábado, Artes, p.4 . "Santista é jurado na Bienal do Rio- A experiência como fanzineiro, autor de vários trabalhos premiados em todo o país, foi o motivo para que a organização da Bienal convidasse Calazans para jurado." Marcel Rodrigues Paes, A Tribuna, 27 de novembro de 1991, Artes C-5.---
-----
" SANTISTA DENUNCIA PLÁGIO EM REVISTA. Flávio Calazans. Ao ler a revista Interquadrinhos, ele deparou-se com uma HQ idêntica à de sua autoria, publicada cinco anos atrás em um fanzine de Aracaju . A história de Calazans intitula-se Lógica Sedução, a da Interquadrinhos se intitula Sedução, com mesmo enredo e número de páginas e diálogos idênticos até nos pontos e vírgulas, É assinada por Paulo Alves, que nem se preocupou em mudar ou suprimir um símbolo criado por Calazans, estampado na roupa do personagem (...) Ele lamenta que o plágio seja quase institucionalizado em algumas editoras, os autores ficam no anonimato e os artistas lesados não se dispõe a tomar medidas jurídicas- o reclamante fica QUEIMADO nas pequenas editoras que são, ainda, o meio de subsistência da maioria dos artistas " Marcel Rodrigues Paes, A Tribuna. 8 de janeiro de 1992,C-=5. O Professor Doutor Silvio Ênio Bergamini Filho teve Marcel como aluno na FACOS e conviveu com ele no LABORATÓRIO de TELEMÁTICA da FACOS, pois redes precursoras da internet eram um dos interesses do Marcel, que era fã de Jornada nas Estrelas e series de Ficção Científica. Dr Bergamini gentilmente aceitou ceder esta entrevista sobre Marcel e aconselhou-me em uma dúvida minha, pois hesitei em incluir este detalhe biográfico do Marcel ; ele sofrer de HEMOFILIA.
- “EU acho que deve falar da hemofilia. Que ela prejudicava fisicamente. Ele andava com dores no joelho o tempo todo. Hemofílicos, naqueles tempos, estavam no grupo de risco. Mas por causa das transfusões. Foram anos de terror quando AIDS matava vagarosamente, sofridamente. Não tinha remédio algum. Acho que a pessoa jovem vítima dessas irresponsabilidades das empresas, bancos de sangue, deve ser colocada como tal. Uma vítima que era um cara jovem, inteligente e construtivo. Eu mostraria quantas pessoas importantes foram vítimas de uma doença que foi diagnosticada, antes de tudo, num rompante histérico, de ¨câncer gay¨. Marcel foi vítima dos dias que corriam. Eram dias obscuros de irresponsabilidades que ainda não foram corrigidas".
Este é um dos detalhes pessoais que cogitei omitir, mas o Dr Silvio Bergamini considerou um erro meu, e eu aceitei a sugestão dele. Como AMIGO do Marcel, eu inscrevi-me no BANCO DE SANGUE tendo cadastro de DOADOR com CARTEIRINHA, doador numero 142101 .
Cada vez que o Marcel era internado, os pais dele me telefonavam e eu corria ao Banco de Sangue pois ele precisava de transfusões e sempre de muito plasma, e com a carteirinha numerada minha doação era acelerada na velocidade e urgência necessárias.
Isto devido a uma daquelas coincidências ou SINCRONICIDADES que Jung descreve, pois eu e Marcel temos o mesmo tipo sanguíneo, A com o fator Rhesus positivo (A RH+). Assim meu sangue podia ir direto para ele, que sempre precisava de grandes quantidades de plasma.
“A hemofilia é um distúrbio na coagulação do sangue. Por exemplo: quando cortamos alguma parte do nosso corpo e começa a sangrar, as proteínas (elementos responsáveis pelo crescimento e desenvolvimento de todos os tecidos do corpo) entram em ação para estancar o sangramento. Esse processo é chamado de coagulação. As pessoas portadoras de hemofilia, não possuem essas proteínas e por isso sangram mais do que o normal.” Além do nosso MARCEL RODRIGUES PAES, o Cartunista Henfil também era portador da hemofilia e faleceu com a idade de 43 anos em decorrência do vírus da AIDS. contraído por causa das constantes transfusões de sangue que recebia, do mesmo modo que aconteceu com o nosso MARCEL!
Henrique de Souza Filho (Henfil) perdeu dois irmãos também hemofílicos, o sociólogo Herbert de Souza (O Betinho), e o músico Chico Mário
vitimas da MÁFIA DO SANGUE .
Marcel, você deixou sua marca na HISTÓRIA da Cultura de Mídia ou Cultura nerd – geek de SANTOS !
Todos devemos muito a você, este painel é apenas um reconhecimento e um TRIBUTO a sua vida e obra, exemplo e inspiração para todos nós!

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Cores BERRANTES e saturadas da editora Bloch - comenta Flávio Calazans

DOUTOR ESTRANHO na coleção de historias em quadrinhos de Flávio Calazans