Flavio Calazans e o GERÚNDIO livre de arrependimentos do "Pretérito Imperfeito" e de imaginárias felicidades adiadas no "Futuro Mais que Perfeito"

Kabir o poeta escreveu que temia que sua gotinha-alma sumisse no oceano-Deus, mas ao iluminar-se descobriu que o oceano sumiou dentro da sua gotinha, se a mente fica no gerundio vc não é, não existe o ego que csepara -solve e sassim o sendo o Universo revela sua real unicidade, é UNO, "Un to Pan", "Ominia in Unum" , pois Descartes dizia- penso, logo existo, e a yôga ensina como existir entre duas respirações - sem mente remoendo e lamentando arrependidos remorsos do "pretérito imperfeito" ou delirando imaginários devaneios de um improvável "futuro mais que perfeito"..

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog